BJ Penn perde no UFC 237 e amplia jejum de vitórias que dura desde 2010

BJ Penn voltou a ser derrotado no octógono – Leandro Bernardes

Outra vez, não deu para BJ Penn. Na melhor apresentação dos últimos tempos – o que não quer dizer muito -, o ex-campeão dos leves (70 kg) e dos meio-médios (77 kg) começou melhor do que Clay Guida, mas sucumbiu ao cansaço e, perdendo desempenho à medida que os rounds passavam, foi superado pela sétima vez seguida – ampliando um jejum de vitórias que dura desde novembro de 2010.

O round de abertura do duelo teve BJ bem melhor do que nos últimos combates. Com mais ritmo, já que havia lutado pela última vez em dezembro do ano passado, o peso-leve usou seu outrora temido boxe para acertar Guida algumas vezes, apesar da sempre confusa movimentação de seu rival. A maior precisão lhe rendeu a vitória nos primeiros cinco minutos de combate.

‘The Prodigy’, entretanto, voltou mais cansado para o round posterior. Perdendo velocidade a cada minuto de confronto, Penn passou a ser minado pelos chutes baixos de Guida e diminuiu ainda mais a movimentação. Quando o duelo começava a receber vaias do público presente na Jeunesse Arena, Clay acertou um chute alto no fim do segundo assalto, o que equilibrou a luta.

Ciente das condições de seu adversário, Guida voltou do intervalo a mil por hora. E por pouco não nocauteou o rival logo nos primeiros segundos, acertando diretos e uppers que balançaram o havaiano. Com apenas dois minutos do último assalto, o ex-campeão já olhava incessantemente para o telão, em busca de saber quanto faltava para o fim da luta. BJ ainda foi acertado por uma sequência de Guida que o fez cuspir o protetor, antes de reagir e terminar melhor o round. Não foi suficiente, porém, para colocá-lo à frente na pontuação dos juízes.

Início da noite

Na primeira luta do show, nem parecia que Viviane Araújo havia entrado no card com apenas quatro dias de antecedência. A atleta, que substituiu Melissa Gatto, surpreendeu Talita Bernardo – número 15 do ranking dos galos (61 kg) – com muitos chutes baixos que minaram a movimentação da rival. Já no primeiro round, a lutadora da casa exibia marcas vermelhas por dentro e por fora da perna esquerda.

Com um jogo de contragolpes eficiente, ‘Vivi’ frustrou bastante Talita, que também não obteve sucesso nas tentativas de queda que levariam o combate para a sua especialidade, o jiu-jitsu. Do meio para o fim do segundo round, porém, Bernardo encontrou a distância e, mesmo sem muita técnica em cruzados abertos, começou a acertar Araújo com mais frequência.

A confiança adquirida no assalto anterior fez com que Talita entrasse ainda mais aberta para os cinco minutos finais – que acabariam sendo apenas 48 segundos. Pressionada, a 15ª colocada no ranking feminino dos galos tentou afastar Viviane com um jab, mas foi acertada no queixo e caiu já desacordada. Uma grande vitória para a estreante, que é, na verdade, uma peso-palha (52 kg).

O card preliminar seguiu com Raoni Barcelos, que encarou outro estreante: o peso-galo (61 kg) Carlos Huachín. O peruano, entretanto, não apresentou o mesmo sucesso de Viviane. Aproveitando-se de sua canhota rápida, Huachín acertou bons contra-ataques no primeiro round, do qual terminou vencedor. No assalto seguinte, apoiado por uma grande quantidade de familiares e amigos do bairro carioca de Marechal Hermes, Raoni conseguiu um knockdown no rival e passou a trabalhar o chão. Depois de tentar emendar algumas finalizações sem sucesso, o brasileiro soltou as cotoveladas e conseguiu a interrupção do árbitro, para felicidade da torcida presente na Jeunesse Arena.

A terceira luta da noite teve tudo para também acabar pela via rápida. A peso-mosca (57 kg) Luana ‘Dread‘ começou encontrando dificuldades com Priscila ‘Pedrita’ – outra atleta que não fez camp completo, tendo substituído Yanan Wu com três semanas de antecedência -, mas, no assalto seguinte, acertou um chute alto que mudou a cara da luta. Ela dominou a adversária também no chão e cumpriu os requisitos que valem uma vitória por 10-8 no MMA. Mas bater também cansa, e Luana voltou lenta para o round final – embora não mais do que ‘Pedrita’. 

Zonza, a lutadora da PRVT voltou a mostrar graves deficiências na defesa e acabou sendo alvo fácil para ‘Dread‘, que estreou no Ultimate com vitória por decisão unânime. O triunfo emocionou Luana, que vibrou muito com os parceiros da equipe ‘Capital da Luta’. Priscila, por sua vez, corre sério risco de ser demitida da organização, uma vez que perdeu as três lutas que fez no octógono mais famoso do mundo.  

Confira os resultados do UFC 237 até a quarta luta da noite:

Leve (70 kg) | Clay Guida venceu BJ Penn por decisão unânime (29-28, 29-28 e 29-27)
Mosca feminino (57 kg) | Luana ‘Dread‘ venceu Priscila ‘Pedrita’ por decisão unânime (30-26, 30-26, 29-27)
Galo (61 kg) | Raoni Barcelos venceu Carlos Huachin por nocaute técnico a 4min49s do segundo round
Galo feminino (61 kg) | Viviane Araújo venceu Talita Bernardo por nocaute aos 48s do terceiro round